Estar atento aos cuidados com a alimentação empresarial é fundamental até para as organizações que contam com um restaurante de autogestão. Embora a empresa não seja responsável pelo espaço, pois isso é função do fornecedor, precisa checar se a gestão do restaurante está sendo feita da maneira correta.

As boas condições de saúde dos seus funcionários e a reputação da sua empresa dependem do funcionamento adequado do local das refeições. Portanto, é preciso ficar de olho nos cuidados que o seu fornecedor tem com a alimentação dos colaboradores que trabalham para você.

Quer saber quais são os cuidados que um restaurante empresarial deve ter? Então, continue com a leitura!

Quais os principais cuidados com a alimentação empresarial?

1. Higiene

Esse é um aspecto muito importante e abrange muitas coisas. Um bom fornecedor se certifica de que sua cozinha trabalha com todo o cuidado possível para oferecer às pessoas uma refeição sem risco de contaminação. É importante considerar a higiene dos alimentos, dos equipamentos e das pessoas que trabalham dentro da cozinha.

Em primeiro lugar, os alimentos usados nas refeições devem ser devidamente lavados e limpos antes do preparo. A higiene não se limita apenas ao uso de água e sabão, já que as partes estragadas ou machucadas das frutas e legumes devem ser retiradas e jogadas fora.

Já os equipamentos e os utensílios de cozinha, como forno, facas, panelas, geladeira e tábuas, precisam estar limpos, higienizados e em perfeitas condições de uso. Por último, as pessoas que trabalham dentro da cozinha devem usar luvas, toucas e máscaras no rosto para evitar a contaminação dos alimentos.

2. Conservação

A conservação dos alimentos é um assunto tão importante quanto a higiene, principalmente dentro de um restaurante que lida com grandes quantidades de comida.

O primeiro passo para a boa conservação dos alimentos é separá-los e guardá-los nos lugares corretos. As carnes, por exemplo, vão para o congelador, e os itens que precisam ser conservados em temperatura ambiente ficam na despensa. Para que os alimentos sejam conservados corretamente, a higiene também é muito importante. Ambientes insalubres causam a contaminação dos alimentos.

Vale lembrar que alimentos quentes devem ser mantidos em temperaturas superiores a 60º C por no máximo 6 horas, e em temperatura abaixo de 60º C por no máximo 1 hora. Já os alimentos frios podem ser conservados a 10º C por no máximo 4 horas, e entre 10º C e 21º C por no máximo 2 horas.

Além de conservar corretamente os alimentos, é necessário estar atento à validade. Tudo o que estiver estragado ou vencido não pode ser aproveitado. Dentro de uma cozinha empresarial é preciso ter muito cuidado para reduzir as chances de contaminação.

3. Legislação

Talvez esse seja o tópico mais importante. Todo restaurante empresarial, seja terceirizado ou não, deve estar de acordo com os critérios que as leis estabelecem.

Para ser instalado, o espaço precisa obedecer às exigências da NR 24 do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). Segundo a norma, a empresa com mais de 300 colaboradores deve oferecer a área de 1,00m² por usuário. Além disso, o restaurante deve ter iluminação e ventilação adequadas e contar com paredes e pisos impermeáveis.

O Conselho Federal de Nutricionistas decretou, por meio da Resolução nº 378/05, que a empresa que oferece o serviço de alimentação, não sendo esta sua atividade fim, deve se cadastrar no Conselho Regional de Nutricionistas do seu Estado e, obrigatoriamente, manter um nutricionista como responsável técnico. Por fim, o restaurante também deve receber o alvará da Vigilância Sanitária para começar a operar.

Conseguir um bom fornecedor não é uma tarefa fácil. Por isso, vale checar se a equipe que cuida do seu restaurante se preocupa, de fato, com a alimentação empresarial. Se você está procurando uma empresa confiável e experiente para administrar o seu restaurante corporativo, a Exal é uma boa opção.

Por que investir em alimentação empresarial é tão importante?

O objetivo da alimentação empresarial é oferecer mais qualidade de vida aos colaboradores de uma empresa. Uma pessoa que não se alimenta corretamente não tem energia o suficiente para enfrentar uma jornada de trabalho. Sendo assim, é correto afirmar que o empresário que investe na alimentação de seus colaboradores está diretamente investindo na produtividade da empresa.

Outra vantagem da alimentação empresarial é que, dessa forma, o empresário garante que seus colaboradores tenham acesso a uma refeição balanceada e nutritiva. Hoje, a obesidade é um grande problema no mundo e estima-se que o número de pessoas obesas só tende a aumentar com o passar dos anos.

O sobrepeso pode causar grandes problemas de saúde, como hipertensão, doenças cardiovasculares, diabetes, entre outros. Colaboradores obesos, portanto, têm mais chances de adoecerem e, assim, atrapalharem o rendimento da empresa.

Vale lembrar que uma boa alimentação não é sinônimo de dieta, então não tente forçar os seus colaboradores a se alimentarem de forma restritiva. O ideal, como nós já dissemos, é oferecer refeições nutritivas, balanceadas e diversas. Isso já é o suficiente para combater a obesidade.

Como oferecer refeições de qualidade?

Aqui nós já reforçamos várias vezes a importância de garantir a boa alimentação dos colaboradores de uma empresa. Mas como isso é possível? Afinal, o que é uma alimentação de qualidade?

O primeiro passo para planejar uma boa alimentação empresarial é contar com uma equipe de profissionais. Os nutricionistas são os profissionais mais indicados para esse trabalho, pois eles saberão montar vários cardápios saudáveis e saborosos. Uma boa forma de complementar a sua equipe é contar com médicos endocrinologistas.

O segundo passo é montar cardápios variados. Diversificar o menu é importante para que os colaboradores não fiquem cansados de comer sempre o mesmo tipo de refeição. Além disso, é importante que o cardápio tenha opções de refeições para eventos empresariais. O ideal é que um menu de alimentação empresarial tenha opções de almoço, jantar, café da manhã, coquetel e brunch.

Por último, mas não menos importante, ao planejar a alimentação da sua empresa, não se esqueça de incluir no menu opções de pratos para pessoas com dietas restritivas. Você, certamente, deve ter na sua empresa colaboradores alérgicos a glúten ou lactose, veganos, vegetarianos e até mesmo pessoas que seguem religiões com restrições alimentares. Oferecer opções de refeições para dietas restritivas é uma forma de mostrar que a empresa realmente se importa com o bem-estar de todos os funcionários.

Uma empresa preocupada com a alimentação de seus colaboradores é uma empresa que se destaca. Portanto, se a sua empresa ainda não fez um plano alimentar para os colaboradores, use todas as informações coletadas neste texto para investir nessa ideia.

Gostou deste texto? Gostaria de ler mais artigos sobre alimentação empresarial? Então assine já a nossa newsletter e receba mais conteúdos relevantes como este!

Deixe uma resposta