A fiscalização em restaurantes corporativos costuma gerar apreensão e ansiedade aos gestores. Isso porque ela ocorre inesperadamente e pode interferir no funcionamento da empresa contratante.

Pensando nisso, é importante observar os requisitos que garantam a idoneidade da empresa alimentícia inserida no ambiente corporativo, para não ter problemas na suspensão dos serviços.

As atividades gerenciais devem se pautar no conhecimento das legislações para antever problemas e instituir medidas corretivas e preventivas antes de uma possível infração às normas sanitárias.

Se você está querendo analisar o restaurante corporativo e verificar as normas de uma inspeção sanitária em restaurante, acompanhe nosso post de hoje e saiba como avaliar pontos importantes desse serviços.

Existência do manual de boas práticas

O Manual de boas práticas é um conjunto de procedimentos relacionados às condutas corretas baseadas na legislação vigente da região. No caso de restaurantes, todos os requisitos que se referem às atividades de preparo, higienização e contaminação microbiana devem ser documentadas.

Nesse sentido, os gestores devem ficar atentos quanto às normas para evitar contaminação cruzada ao manipular alimentos, as formas adequadas de desinfecção dos utensílios domésticos e a utilização frequente de equipamentos de proteção individual.

Nesse material, também devem ser incluídos os procedimentos operacionais padronizados (POP) sobre cada atividade desempenhadas, de forma que todos os funcionários compreendam as etapas e as realizem uniformemente.

Avaliação dos treinamentos periódicos

Os treinamentos de funcionários têm como propósito a sensibilização e assimilação de conhecimentos pertinentes às tarefas desempenhadas dentro do ambiente de produção. Nesse sentido, os gestores devem aplicar periodicamente os treinamentos para atualização constante.

Caberá aos gestores avaliarem o tipo, conteúdo, metodologias e demais variáveis que atestam um bom treinamento aos funcionários. A execução prática das atividades conforme os ensinamentos adquiridos costuma ser mais eficaz que uma prova objetiva.

Adequação à legislação própria

Um restaurante corporativo deve atender as normas sanitárias e legislativa para manter o adequado funcionamento. Por isso, é importante que os gestores da empresa contratante analisem a documentação comprobatória e a validade das mesmas.

Essa situação será importante para não acarretar paralisação ou interrupção do serviço de alimentação e trazer prejuízos para os funcionários que dele necessitam.

Uma empresa que preza pela qualidade dos seus serviços, bem estar de seus funcionários, excelência nos produtos gerados e atualização dos conhecimentos legislativos deve ser referência para a instituição contratante.

A fiscalização em restaurante é uma medida que faz parte do processo de garantia do processo de segurança alimentar. Devido a isso, os gestores que contratam os serviços terceirizados de alimentação precisam ter uma parceria de confiança.

Por isso, é importante que essas empresas apresentem com clareza e objetividade todos os parâmetros para continuar prestando os serviços alimentícios nas empresas contratantes.

Algumas já realizam o chamado índice de qualificação para avaliar o restaurante corporativo e, dessa forma, instituir medidas assertivas.

Por isso, conhecer todas essas nuances é essencial para manter o restaurante corporativo em funcionamento, proporcionar segurança alimentar e evitar infrações indesejadas.

E você, já sabe quais são os requisitos da legislação sanitária alimentar? Quer aprender mais sobre esses assuntos? Então, assine nossa newsletter e mantenha-se atualizado!

Fechar Menu