É provável que você já tenha ouvido falar em empresas que estão adotando a flexibilidade da carga horária de trabalho em seu modelo de gestão, certo? Implementar o horário flexível pode trazer vários benefícios tanto para os colaboradores quanto para a organização em si.

A ideia de deixar os horários mais livres parece muito atraente, mas, antes de aderir a esse modelo de gestão, é preciso entender quais são os impactos que os horários flexíveis causam de modo geral e analisar se essa mudança vai ser benéfica para a realidade da sua organização.

Neste post, explicaremos tudo o que você deve levar em consideração ao adotar o horário flexível. Ficou interessado? Então, continue com a leitura!

Como funciona o horário flexível?

As leis trabalhistas brasileiras determinam que todo funcionário registrado precisa cumprir uma carga de oito horas diárias de trabalho, ou quarenta e quatro horas por semana.

Veja bem, não há nenhuma lei que determina quando o colaborador deve começar a sua jornada, em que horário a sua pausa ocorre (ou a duração dessa pausa) e quando ele termina o expediente.

Partindo desse ponto, o horário flexível consiste em permitir que o colaborador tenha a liberdade de escolher a sua jornada de trabalho. Essa medida pode ser aplicada de três maneiras: horário fixo variável, horário variável e horário livre.

Horário fixo variável

A organização propõe várias jornadas de trabalho e o colaborador fica à vontade para escolher entre elas. Dessa maneira, a empresa ainda mantém algum controle sob as jornadas e os colaboradores podem escolher os horários que mais se encaixem nas suas necessidades.

Horário variável

O colaborador escolhe livremente como deseja fazer a sua jornada de trabalho, entretanto, ele é obrigado a seguir à risca o que foi combinado.

Horário livre

Além de escolher a sua jornada de trabalho, o colaborador também fica livre para escolher os dias em que vai trabalhar. As quarenta e quatro horas semanais devem ser cumpridas, mas a forma como elas serão cumpridas fica a critério do colaborador.

Quais os benefícios de adotar os horários flexíveis?

Pense bem, você não ficaria feliz se pudesse escolher a sua carga horária? É exatamente isso o que todos os colaboradores pensam! Eles ficam tão satisfeitos com a sua jornada de trabalho personalizada que passam a desempenhar melhor o seu papel.

As empresas que adotaram os horários flexíveis perceberam que, por estarem mais felizes, os colaboradores faltam menos, não chegam atrasados no trabalho e entregam as suas demandas no prazo certo.

Todos esses fatores colaboram para o aumento da produtividade individual e, assim, otimizam os resultados da organização.

O que deve ser considerado antes de adotar esse modelo de gestão?

O melhor a se fazer antes de adotar os horários flexíveis é observar o comportamento da sua equipe de colaboradores. Se eles são pessoas comprometidas e disciplinadas, então não haverá problema algum em deixá-los livres para escolher sua jornada de trabalho.

Caso contrário, a empresa pode enfrentar problemas para gerir esses colaboradores, o que acarreta na queda da comunicação entre a equipe — podendo até mesmo prejudicar a produtividade da empresa. Uma má gestão do horário flexível também torna os colaboradores e suas tarefas mais difíceis de serem supervisionados.

Resumidamente, é muito possível fazer esse novo modelo funcionar dentro de uma organização, mas, para que o horário flexível seja adotado de forma eficaz, é preciso ter muita organização e comprometimento.

A empresa deve priorizar a comunicação entre a gestão e os colaboradores para que tudo possa caminhar dentro dos conformes.

Gostou do conteúdo? Quer conferir mais posts como este? Então, assine a nossa newsletter e receba em primeira mão todos os nossos conteúdos!

Fechar Menu