Você sabia que a qualidade da alimentação do trabalhador tem grande influência em seu desempenho? Uma má alimentação atrapalha na eficiência do trabalho, na concentração e pode até mesmo acarretar doenças e problemas de saúde.

Para manter a qualidade do cardápio do restaurante, existem algumas coisas que podem ser feitas para identificar os problemas e trazer mais satisfação para os profissionais. Quer entender melhor? Continue acompanhando!

1. Acompanhe o rendimento dos profissionais

Traçar metas, criar gráficos e planilhas de rendimento dos profissionais são excelentes maneiras de acompanhar o desempenho dentro da empresa. Essas informações podem indicar a qualidade ou a falta dela na alimentação, pois o que muitas pessoas ainda não sabem é que os alimentos influenciam na capacidade de produção.

Por exemplo, os carboidratos (encontrados em frutas e massas) são alimentos que fornecem energia ao corpo. Quando a energia está baixa, o profissional sente-se indisposto, sem energia para produzir. Outro bom exemplo é o nutriente ferro (encontrado em carnes e vegetais de cores escuras), que, em falta no corpo, pode causar dificuldade de concentração.

2. Forneça consultas periódicas com nutricionistas

Apenas um profissional capacitado é capaz de avaliar o estado nutricional de um paciente com o objetivo de orientá-lo a ter hábitos mais saudáveis e, até mesmo, investigar problemas decorrentes da má alimentação.

A alimentação é algo totalmente individual. Cada pessoa deve ter sua própria dieta – baseada no que ela faz em seu dia a dia, no trabalho, nas preferências alimentares, em problemas de saúde, entre outros fatores.

Apesar disso, existem alimentos que são indicados para praticamente todas as pesoas, pois apresentam nutrientes essenciais para o funcionamento do corpo e do cérebro. Além do mais, mesmo que o profissional almoce no trabalho, a alimentação dele continua em casa, por isso, é importante que ele saiba o que comer.

É interessante oferecer palestras para os funcionários visando incentivar uma melhor alimentação. Além disso, não adianta oferecer um cardápio adequado se eles não entendem a importância da alimentação na vida pessoal e profissional

3. Investigue as doenças que afetam os funcionários

A maioria das doenças tem como um dos fatores de risco a má alimentação. No entanto, as que mais são influenciadas por ela e, portanto, indicam possíveis falhas nesse serviço, são:

  • obesidade;
  • gastrite;
  • colesterol alto;
  • anemia;
  • prisão de ventre;
  • pressão alta;
  • diabetes.

Alguns desses problemas podem ser curados com uma alimentação correta, já outros podem ser apenas controlados. O essencial é tentar manter a saúde em dia, tanto por meio de tratamentos quanto do controle dos problemas. Afinal, eles afetam diretamente não só o desempenho das pessoas, como também a qualidade de vida e satisfação delas.

As doenças podem ser identificadas pelo próprio nutricionista ou por um médico. E, a partir das conclusões, o cardápio pode ser adaptado e aprimorado para promover a saúde.

Oferecer consultas e palestras com nutricionistas e acompanhar o desempenho e as doenças dos funcionários podem ser excelentes maneiras de investigar a qualidade da alimentação do trabalhador. Isso ajuda a melhorar o cardápio e trazer mais qualidade de vida e eficiência no serviço.

Gostou do post? Então, o que está esperando para assinar nossa newsletter e ficar por dentro de mais assuntos como esse?

Fechar Menu