Se existe uma pauta diária dentro dos restaurantes, com certeza é a segurança do trabalho. Isso não ocorre simplesmente por se tratar de normas e leis, mas porque não há nada mais importante do que a segurança dos colaboradores.

Portanto, desenvolver e capacitar os trabalhadores, a fim de identificar, monitorar e mitigar os riscos existentes na área, fará toda a diferença em um restaurante corporativo — e, consequentemente, na vida dessas pessoas. Quer saber mais sobre o assunto? Continue a leitura!

A importância da segurança do trabalho

Os riscos são grandes: queimaduras, cortes, escorregões e até incêndio. Por esse motivo, implementar medidas que assegurem a qualidade de vida dos trabalhadores, com a adoção das Normas Regulamentadoras e a utilização de Equipamentos de Proteção Individual (de acordo com a legislação trabalhista) é imprescindível.

Paralelamente, desenvolver uma cultura em que todos os colaboradores se conscientizem das regras e dos deveres de cada um no processo da segurança no trabalho é um diferencial. Antes de avaliarmos como atuar para prevenir acidentes nos três pontos de maior atenção do restaurante, é preciso analisar quais são os níveis de riscos e como eles se comportam.

Os níveis de riscos existentes

A seguir, reunimos os níveis de riscos observados em um restaurante corporativo. Acompanhe!

Desvio

Tais riscos correspondem àqueles que podem ser evitados se tomadas as devidas precauções caso exista algum tipo de desvio na funcionalidade do objeto. Exemplo disso ocorre quando o chão do restaurante está molhado (e não deveria estar).

Imagine que uma poça de água tenha se formado e nenhum funcionário ou consumidor reparou. Nesse caso, haverá um risco de desvio — já que, se não for retirada, a água pode fazer com que alguém se acidente.

Incidente

O incidente será observado quando o desvio se apresentar na realidade fática. Assim, aquele fator que se mostrou potencialmente perigoso leva à ocorrência de um fato inesperado, ainda que não machuque quem dele participou.

Para visualizá-lo, utilize o cenário anterior, com o chão do restaurante molhado. Quando há um incidente, a pessoa passa por ali e escorrega, mas consegue se apoiar na parede ou em um corrimão e não se machuca, por exemplo.

Acidente sem afastamento

O acidente de trabalho se refere a quando acontece algo não programado, de forma inesperada, que interrompe a atividade profissional. Na maioria das vezes, isso ocorre no caso de um incidente não ser tratado e acabar gerando um acidente, ainda que sem grandes consequências.

Como exemplo, suponha que uma água empoçada no chão faça algum trabalhador do restaurante escorregar e cair. Portanto, ela produzirá um acidente, mas sem muitas repercussões (pouca ou nenhuma dor ou machucado).

Acidente com afastamento

Esse quadro surge quando a ocorrência que não foi tratada gera um acidente com consequências mais graves, causando o afastamento temporário do trabalhador. Para visualizá-lo, pense que a mencionada poça fez com que a pessoa escorregasse e quebrasse um de seus braços.

Fatalidade

Nessa modalidade, encaixam-se desvios que não foram evitados e, caso tivessem sido, evitariam a morte do trabalhador como resultado. Um exemplo é quando o colaborador passa pela poça, escorrega, bate a cabeça e falece.

Os 3 pontos de maior atenção em um restaurante

Agora que já sabemos quais são os níveis de riscos em detalhes e como eles estão presentes no dia a dia, é preciso monitorar os 3 pontos de maior atenção em um restaurante. A seguir, descubra como!

1. Fogões

Fogões desajustados podem causar incêndios e devem ser constantemente monitorados. Portanto, jamais permita que fiquem próximos de equipamentos inflamáveis e trace um plano contra incêndio funcional para combater acidentes do tipo no restaurante.

Esteja atento, ainda, à temperatura da água fervente e de óleos em panelas, fiscalizando a atuação dos funcionários para evitar que salpiquem ou sejam diretamente derramados na pele. É bastante recomendado o fornecimento de luvas de proteção para os colaboradores que usam o fogão, a fim de prevenir acidentes.

2. Facas e objetos cortantes

O potencial de acidentes com lâminas, processadores e facas é enorme em um restaurante. Portanto, monitore constantemente os colaboradores que manusearem tais objetos e evite dor de cabeça, fornecendo luvas de malha de aço com cobertura até acima do pulso.

3. Chão e pisos irregulares

Líquidos e óleos utilizados no cozimento podem facilmente espirrar no chão. Some isso à existência de pisos irregulares no restaurante e o risco de acidentes aumenta exponencialmente. Assim sendo, vale a pena apostar em adesivos antiderrapantes e verificar constantemente se há água escorrendo da louça lavada no chão.

As formas de treinar o time para gerir a segurança do trabalho

Ao estipular uma meta de indicador para a segurança do trabalho, é preciso ser categórico: acidente zero. Afinal, estamos falando de pessoas — e quanto vale uma vida? Não é possível precificar, certo?

Por esse motivo, aplicar um treinamento com as diretrizes abaixo vai ajudar a equipe a estar 100% atenta e menos propensa aos riscos diários.

EPIs

O uso dos EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) é norma e deve ser seguido. Eles precisam ser pertinentes a cada tarefa, além de estarem em boa conservação e dentro da validade. Portanto, oriente os colaboradores sobre a importância dessa ferramenta e para que jamais iniciem tarefas sem o EPI correto para cada função.

Qualificação

Toda e qualquer função deve ser demandada apenas a funcionários aptos para realizá-la. O funcionário tem o treinamento apropriado? Sabe como manusear tal equipamento? Conhece o passo a passo da atividade? Informe aos colaboradores a importância das funções e esclareça os riscos envolvidos.

Ferramentas de trabalho

Antes de iniciar uma jornada, é essencial avaliar as ferramentas de trabalho. Elas estão em bom estado de conservação e aptas para o uso? Oferecem segurança ao serem manuseadas? O cabo da panela está frouxo, por exemplo?

A válvula da panela de pressão está funcionando? Ressalte para todo o time que fazer esse checklist é imprescindível à segurança do trabalho.

Organização

Um ambiente organizado, com cada coisa no seu lugar, garante mais harmonia e, consequentemente, segurança para o ambiente de trabalho. É importante seguir uma metodologia e criar uma disciplina de organização: quando se estabelece a ordem, o processo de produção se torna mais fluido e seguro.

Controle do Estresse

Com a correria do dia a dia, ainda mais quando falamos do grau de movimentação de um restaurante, é fundamental olhar para esse fenômeno com atenção. O funcionário estressado ou preocupado demais tende a trabalhar no “piloto automático” e a não realizar suas atividades com a precisão que seu cargo exige.

Prevenção

Ter ferramentas e programas que atuem na prevenção do acidente é um diferencial para a empresa. Aposte em treinamentos que disseminem a cultura da segurança do trabalho, promova reuniões ou visitas técnicas e pratique o Diálogo Diário de Segurança (DDS). Ou seja: faça com que o assunto esteja sempre presente.

Afinal, as pessoas nunca acham que algo vai acontecer com elas. Por esse motivo, falar sobre o assunto todos os dias ajuda a lembrá-las de que determinadas atitudes podem salvar vidas.

Como vimos, colocar em prática medidas para garantir a qualidade de vida e segurança dos trabalhadores é essencial. Além disso, utilizar os EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) e estar sempre em dia com as Normas Regulamentadoras (de acordo com a legislação trabalhista) é o caminho do sucesso.

Agora que você já sabe como atuar na prevenção e fortalecer a segurança do trabalho, não deixe de assinar nossa newsletter para receber mais dicas sobre o assunto!

Fechar Menu