A segurança alimentar envolve procedimentos que visam garantir o direito que todo ser humano tem de se alimentar corretamente. Suas práticas são baseadas em atividades gerenciais, treinamento e monitoramento dos fatores que influenciam no preparo de alimentos. A segurança alimentar também pode ser aplicada dentro das empresas, principalmente aquelas que oferecem refeições aos seus colaboradores.

Do ponto de vista sanitário, devem ser instituídas práticas que previnam a proliferação microbiana ou a execução inadequada dos manipuladores.

Quer entender um pouco mais sobre a importância da segurança alimentar? É só continuar a leitura!

Como surgiu a ideia de segurança alimentar?

Muito se engana quem pensa que o conceito de segurança alimentar foi inventado recentemente. O termo surgiu na Europa com o fim da Primeira Guerra Mundial. Graças ao conflito, o mundo aprendeu que a fome pode ser usada como arma. Um país que tem os meios de produção e distribuição de alimentos é capaz de controlar os outros que sofrem com a escassez de comida.

A partir de então, a alimentação passou a ser vista como uma questão de segurança nacional. A ideia de que o poder de um país está relacionado a sua capacidade de ser autossuficiente na produção de alimentos incentivou as nações a fazerem grandes estoques de comida.

A Segunda Guerra Mundial trouxe de volta toda essa problemática e, por isso, após a guerra, foi criada a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura. A alimentação passou a ser reconhecida como um dos direitos básicos do ser humano.

É claro que, com o passar do tempo, o conceito evoluiu e se transformou ao passo que a população também passava por mudanças.

Atualmente, podemos dizer que a segurança alimentar é um conjunto de práticas que garante minimizar os riscos de contaminação física e microbiológica nos processos de produção, manipulação e distribuição dos alimentos. Sendo assim, é preciso avaliar as principais formas de contaminação — sobretudo a possibilidade de transmissão microbiológica cruzada.

No que diz respeito ao ambiente corporativo, podemos dizer que a importância da segurança alimentar está ligada ao bem-estar dos colaboradores. A forma como o indivíduo se alimenta influencia diretamente o seu rendimento dentro da empresa. Colaboradores que não se alimentam bem não conseguem trabalhar direito e, consequentemente, acabam adoecendo.

Além disso, também há o risco de contaminação dos alimentos, o que pode causar a intoxicação dos colaboradores. Por isso, faz-se necessário a implantação de estratégias que reduzam ou eliminem essa situação.

O que a lei diz sobre a importância da segurança alimentar?

Segundo a Lei nº 11346, segurança alimentar é a “realização do direito de todos ao acesso regular e permanente a alimentos de qualidade, em quantidade suficiente, sem comprometer o acesso a outras necessidades essenciais, tendo como base práticas alimentares promotoras de saúde que respeitem a diversidade cultural e que sejam ambiental, cultural, econômica e socialmente sustentáveis.”

Isso significa que todas as pessoas (independentemente de etnia, religião ou sexo) têm o direito de ter acesso a alimentos nutritivos de forma segura. O que significa que uma pessoa sofrendo de desnutrição e fome está em situação de insegurança alimentar.

Como garantir a segurança dos alimentos?

A segurança do alimento está relacionada às atividades de fabricação, sendo englobadas ações de seleção da matéria-prima, condições adequadas de manipulação, embalagens corretas para cada produto e controle de pragas.

A principal preocupação é fornecer alimentos seguros aos consumidores. Por isso, as empresas precisam atender os requisitos mínimos de produção e controle de qualidade.

As empresas produtoras de gêneros alimentícios são fiscalizadas pela Anvisa para fins de registro de itens e pela Vigilância Estadual, que verifica as condições de funcionamento da empresa.

O que você, quanto indivíduo, pode fazer para garantir a sua segurança alimentar e a de sua família é:

  • comer frutas, verduras e legumes orgânicos;

  • higienizar os alimentos antes de consumi-los;

  • dar preferência às marcas que estão mais preocupadas com o meio ambiente e a sua saúde;

  • comprar apenas em mercados limpos e organizados.

Quais são as estratégias de segurança alimentar?

Para garantir um alimento seguro, são exigidas as boas práticas de fabricação e manipulação, cadastro e certificação de fornecedores, recebimento auditado de matérias-primas.

Para a execução eficaz de cada uma dessas atividades, é importante a elaboração de procedimentos operacionais padronizados, mensuração dos resultados obtidos e avaliação periódica dos funcionários.

Tudo isso para manter o nível de excelência na produção e controle de qualidade do produto final.

Como investir em segurança alimentar?

Investir em segurança alimentar é uma tarefa tão nobre quanto obrigatória, principalmente dentro de uma empresa. Isso porque os gestores devem atender às recomendações da vigilância sanitária.

As principais iniciativas se referem à higienização e desinfecção adequadas dos equipamentos, revisão e manutenção dessas tecnologias e alterações na estrutura física, caso seja necessário.

Também é importante engajar todos os funcionários em prol da segurança alimentar e pensar nas estratégias de sensibilização. Os gestores devem implantar medidas de forma gradativa para facilitar a incorporação.

Segurança alimentar deve ser vista como uma responsabilidade dos gestores de uma empresa, isso porque sua importância está relacionada à saúde dos trabalhadores, a produtividade nas atividades e melhoria do clima organizacional. Os gestores devem trabalhar conjuntamente com os serviços de alimentação, de forma a mostrar os benefícios dessa prática que vão além dos limites corporativos.

Se você deseja alimentar seus colaboradores da melhor maneira possível dentro da empresa, mas não sabe como, não se preocupe: nós podemos ajudar! A Exal é especialista em montar e administrar restaurantes dentro de corporações. A nossa maior preocupação é fornecer refeições saudáveis e nutritivas dentro das empresas.

Agora que você já está ciente da importância da segurança alimentar, vale ressaltar o quão necessário é investir em um restaurante organizado dentro da sua empresa. A boa notícia é que você pode terceirizar esse serviço contratando um fornecedor como a Exal, por exemplo.

Ficou interessado em investir em um restaurante com autogestão? Quer conhecer mais sobre o trabalho da Exal? Então entre em contato conosco agora mesmo!

Deixe uma resposta

Fechar Menu